São Paulo / SP - domingo, 09 de agosto de 2020

PROCEDIMENTOS E EXAMES

AGULHAMENTO A SECO

Também conhecida como "Dry Needling". Trata-se de técnica descrita por Janet G. Travell em 1999, uma das pioneiras na descrição de técnicas para tratamento da síndrome miofascial. Ela foi médica particular do então presidente John F Kennedy e continuou como médica da Casa Branca até 1965. A síndrome miofascial é muito comum, acomente 41% dos pacientes otorrinolaringológicos. Ela ocorre pela formação de "Pontos Gatilho" ou "Trigger Points" que são nódulos que surgem no interior de músculos esqueléticos. É frequente em casos de sobrecarga ou falta de uso ou má uso da musculatura. Tem se tornado bem mais frequente nos últimos tempos tendo em vista vícios posturais, longos períodos sentado em frente do computador, estresse, ansiedade, tensão, ranger ou apertamento de dentes, dentre outros. Os músculos da cabeça e pescoço também podem ser acometidos (esternocleidomastóideo, trapézio, esplênio da cabeça, temporal, escalenos, masseter, pterigóideo lateral e medial). Os sintomas decorrentes podem incluir dor, dor irradiada à distância, dor de cabeça, dor nos ouvidos, dor na ATM (articulação da mastigação), dor nos dentes, zumbido, tontura, fadiga, sensação de ouvido tampado, entre outros. O tratamento se faz com agulhas finas que são inseridas nos músculos afetados de forma a desfazer ou quebrar tais nódulos. Em geral são necessárias 5 sessões em intervalos semanais. O paciente deve ser orientado a fazer em casa compressa de calor local e alongamentos regulares dos músculos afetados. Os resultados são animadores.

MANOBRA DE REPOSIÇÃO DE OTÓLITOS

Uma das possíveis causas de labirintite é a VPPB (leia mais em “Verdades e Mitos”). Nesta situação partículas, conhecidas como otólitos, se deslocam do seu local habitual e ocupam outros compartimentos do ouvido. A manobra de reposição de otólitos é um dos tratamentos indicados, deve ser feito sempre pelo médico otorrinolaringologista, durante a consulta, e inclui manobras de cabeça para reposição das partículas soltas.

LAVAGEM DE OUVIDO

Também conhecida como remoção de cera do ouvido.


CAUTERIZAÇÃO NASAL

Feita para cauterizar pequenos vasos que causam sangramento pelo nariz.


RETIRADA DE CORPO ESTRANHO

Usado para remover objetos acidentalmente colocados ou animais que inadvertidamente penetraram em um dos orifícios naturais: ouvido, nariz ou garganta.



PESQUISA DE PARES CRANIANOS

Realizada durante a consulta, no momento do exame clínico,  serve para avaliar se os nervos do crânio estão funcionando adequadamente. Importante na avaliação de pacientes com queixa de labirintite.


FIBRONASOFARINGOLARINGOSCOPIA

É uma forma de endoscopia, realizada com uma sonda bem fina que possui de 3 a 4 milímetros de diâmetro, chamada fibra ótica flexível. Antes de iniciar o exame aplica-se um líquido anestésico nas narinas. Após 1 a 2 minutos, a fibra é introduzida em uma das narinas e permite que o médico veja o fundo do nariz, a garganta, a região por trás e abaixo da língua, chamada laringe. É um exame muito importante, pois com ele o médico otorrinolaringologista pode ver áreas antes invisíveis a olho nu. Possibilita um diagnóstico mais preciso de doenças que eventualmente poderiam passar despercebidas pelo exame de rotina, incluindo sinusites, rinites, laringites, carne esponjosa, desvio do septo nasal, problemas das pregas vocais, problemas do ronco, problemas da deglutição, sangramentos ocultos, entre outros.